Recents in Beach

Resumo: O Melhor de Peter Drucker: O homem - capitulo 10 "Decisões Eficazes"

Estou a 10 dias da prova institucional da faculdade e só hoje dei um jeito de começar a ler o livro, sabe como é TCC essas coisas da vida acadêmica... enfim o intento é um resumo, resuminho mesmo a partir da parte 4 "Alguns fatores básicos para profissionais" começando do capitulo 10.




"As pessoas eficazes não tomam muitas decisões. concentram-se naquelas que são importantes" DRUCKER
Com essa frase já podemos ter uma ideia do que o capitulo se trata; no decorrer do texto ele explica porque tomar decisões eficazes demandam tempo. Há uma serie de fatores a se considerar na tomada de decisões, saber o que é a decisão e a que realidade ela deve atender, querem impacto em vez de técnica, devem ser confiaveis e não espertas. Tomar a decisão certa pode prevenir danos, porém o mais importante que DRUCKER diz é:
"Sabem se que a iniciativa que mais consome tempo no processo não é tomar a decisão e aplica-la. Se uma decisão não "se converter em trabalho", não é uma decisão; é , quando muito, uma boa intenção"
Ou seja, dentro desse processo, converter a a decisão em trabalho é o que demanda mais tempo e não converte-lo é apenas uma intenção. 

Durante o capitulo DRUCKER ilustra muitos exemplos externos para auxilar a compreensão das suas reflexões, dentre eles está "Os passo do processo de decisão" São 5 aspectos que Vail e Sloan da GM tornaram importantes em suas tomadas de decisões

1. Percepção
2. Especificação
3. O que é Certo
4. Convertendo em Ação
5. Feedback

1. PERCEPÇÃO " A primeira pergunta que se faz para tomar uma decisão eficaz é: " Esta é uma situação geral ou especifica?" para poder responder você dever pensar em outra pergunta "´E algo que gera muitas ocorrências importantes? ou a ocorrência é um acontecimento único  que precisa ser tratado como tal?" O que é geral sempre tem de ser solucionado com a formulação de uma regra. de um principio. O especifico só pode ser tratado como tal quando ocorrer.

2. ESPECIFICAÇÃO Nesse aspecto DRUCKER fala sobre as "condições-limite" usadas para as tomada de decisão. "Uma decisão, para ser eficaz, precisa satisfazer as condições-limite"
"Uma decisão que não satisfaz às condições-limite é infeficaz e inadequada.

3. O QUE É CERTO.  Deve se começar com o O QUE É CERTO e não com o que é aceitável.
Nada se ganha começando com a pergunta " O que é aceitavel" no processo de responde-la, cede-se a coisas importantes, de modo geral, perde-se qualquer chance de se chegar a uma resposta eficaz, muito menos correta."

4. CONVERTENDO EM AÇÃO "Nenhuma decisão se concretiza antes de alguém ter sido incumbido e responsabilizado por sua execução em etapas especificas. Até então, há apenas boas intenções." como dito anteriormente sem as ações as decisões se tornam apenas boas ideias.
Converter uma decisão em ação necessita o esclarecimento de diversos pontos: Quem precisa saber dessa decisão? que medida deve ser tomada?  E o que deverá ser feito para que as pessoas que precisam tomar uma decisão tenham condições de concretiza-la?

5. FEEDBACK permite um exame continuo, daquilo que se espera da decisão diante dos acontecimentos reais. Quem toma as decisões são sere humanos, portanto estamos sujeitos as falhas. "Mesmo em decisões mais acetada tem uma elevada probabilidade de estar errada. mesmo a mais eficaz delas pode se tornar obsoletas"

Apos a exposição desses 5 aspectos para a tomada de decisão DRUCKER nos apresenta algumas dicas durante esse processo.

OPINIÕES EM VEZ DE FATOS

"Uma decisão é desenvolvimento de um raciocínio. É uma escolha, entre alternativas."(DRUCKER,2001, P.127)

 DRUCKER valoriza a opinião antes mesmo dos fatos porque para ele os fatos não podem ser obtidos em primeiro lugar, não há fatos a não ser que estabeleça um critério de relevância. Os acontecimentos em si não fatos.
Quando buscamos os fatos estamos sempre buscando certezas de uma hipótese já estabelecida.
O autor valoriza testar uma opinião em hipóteses não testadas. 
Na tomada de decisão e na ciência este é o único ponto partida "Sabemos o que fazer com as hipóteses - elas não são questionadas, mas testadas.

As hipóteses sustentáveis são mantidas e as demais devem ser eliminadas contra a experiencia observável.
As pessoas eficientes querem ouvir opiniões, porem deve considerar que quem expressa a opinião tenha experiência, ou seja, teste  na realidade.
A melhor forma de se encontrar a mensuração adequada e sair e procurar o feedback.

PROVOQUE DISCORDÂNCIAS 

"Quando não são consideradas alternativas, há apenas uma mentalidade fechada (...)

A primeira regra a ser seguida é não se tomam decisões se não houver discórdia (...)

Um decisão sem uma alternativa é um lance desesperado de um jogador"
(DRUCKER, 2001, P. 129)

O estimulo da discordância gera mais alternativas e o mais importante estimula a imaginação em busca da solução dos problemas. Quando ocorre uma concordância geral significa que não foi pensando em outras possibilidades descartando todo o esforço nas tomadas de decisão. 

"A discordância, principalmente forçada a ser justificada, refletida, documentada, é o estimulo mais eficaz que conhecemos."
 Estimular a discordancia para geração de novas ideias que auxiliem na decisão. 

É REALMENTE NECESSÁRIO TOMAR UMA DECISÃO?

Uma alternativa que existe é de não fazer nada, ela sempre vai exister em qualquer aspecto de nossas vidas.
Uma decisão é uma intervenção em um sistema, portanto há chances de riscos e choques. 
"É preciso tomar uma decisão quando uma situação vai degenerar, se nada for feito" 
Em outro momento, se não tomada a decisão as oportunidades podem desaparecer se não tomada as inciativas e mudanças.
Por outro lado DRUCKER(2001) afirma:
No extremo oposto há situações que, na melhor das hipóteses, devem ser resolvidas por si mesmas, ainda que nada seja feito. Se a resposta à pergunta: "O que acontecerá se não fizermos nada?" for "Questão se resolverá por si mesma", não há de interferir. Nem se interferirá se a situação, embora incomoda, não tiver importância e provavelmente não fará diferença.  
 A maioria das decisões estão sobre os extremos, o problema não vai resolver por si, porém é difícil que se alastre. A oportunidade é apenas para aprimoramento e não para mudança real e para a inovação, mesmo assim deve ser considerado.

Se não agirmos é provável que sobreviveremos, mas se agirmos estaremos em melhor situação. (DRUCKER, 2001, P.131)

DRUCKER, Peter. O melhor de Peter Drucker: O homem. São Paulo: Nobel,2001.


Postar um comentário

0 Comentários