Recents in Beach

Cura gay


Não sou ativista LGBT, nem nada, me considero heterossexual, porém me ponho a frente sobre essa causa devido aos fatos da ultima semana. Faço isso por todos aqueles meus amigos que já sofreram por serem o que são e eles não são menos que ninguém. Teoricamente somos todos iguais perante as leis, pelo menos era isso que deveria ser...
Reprodução: Muza

O fato do inicio da semana me fez pensar o quanto essa liminar do juiz federal da 14ª Vara do Distrito Federal Waldemar Cláudio de Carvalho, pode causar aos meus amigos LGBT. De fato ninguém está obrigando ninguém a se "tratar". Entretanto, só a possibilidade de considerar um desvio cria-se meios de propagar a intolerância. 

Assim com a Heteronormatividade  formaliza as vias do preconceito e do ódio. O que quero dizer, é que só pelo fato de achar errado um comportamento que desvia do que é normativo, faz com que você acredite que tem o direito de meter o bedelho na vida das pessoas, a grosso modo dizendo, cada um cuide da sua vida, a vida de terceiros não lhe diz respeito e isso inclui as preferências pessoais.

Não temos o direito de dizer o que as pessoas devem fazer ou não de suas vidas.  

Ao considerarmos que é algo que deve ser "tratado" estamos assumindo uma postura preconceituosa, de exclusão, marginalizar todas essas pessoas que assumem papeis importantes na sociedade, ou ate mesmo aquelas que não assumem papel nenhum.
 Se de fato isso for considerado prepare-se para ter muitas pessoas afastadas de suas funções por estarem "doentes", pensa só no prejuízo... Pensa só no retrocesso social.

Por isso proponho lhes uma reflexão rápida:

Quantas pessoas considerada "doentes" você convive diariamente? 
 Essas pessoas são realmente doentes? 
Você acha justo dizer que seu amigo gay é doente???

Se você ainda acha que sim, sinto muito,quem tem problemas é você!

Postar um comentário

0 Comentários